Tudo sobre Acne

Acne é uma doença inflamatória das glândulas sebáceas de caráter crônico. Ela afeta 80% dos adolescentes e muitos adultos, especialmente mulheres, sendo 45% das mulheres entre 21 e 30 anos de idade e 26% entre 31 e 40 anos. 1, 2 e 3

Imagem ilustrativa da ACNE

Descrição

Acne é uma doença de pele que é particularmente comum entre os adolescentes, embora algumas pessoas tenham acne que dura até a idade adulta. (Gollnick, 2003)

Acne envolve um distúrbio das glândulas de sebo que se encotram anexadas ao folículo piloso. Estas glândulas, chamadas glândulas sebáceas, secretam uma substância oleosa chamada sebo. Todo mundo tem essas glândulas, e a secreção de sebo é normal, mas as pessoas com acne têm glândulas maiores que liberam mais sebo na pele. Uma bactéria em particular, conhecida como P. acnes, é capaz de desenvolver-se nestas condições. O P. acnes é normalmente presente na pele, no entanto, em pessoas com acne eles estão presentes em número muito maior. O crescimento e a proliferação destas bactérias podem causar inflamação da pele, levando a espinhas. (Gollnick et al, 2003) 1 e 2

Diagnóstico

O demartologista é o profissional indicado para diagnoticar o quadro examinando a pele afetada. No entanto, o médico pode fazer várias perguntas que são destinadas a garantir um diagnóstico adequado da acne e para descartar outras doenças de pele. Estas incluem questões sobre: (Bershad, 2008)

  • Áreas de pele sensível, ou eczema
  • Outras doenças que podem afetar a capacidade de lidar com medicamentos
  • Alergias medicamentosas anteriores
  • Utilização de esteróides (por exemplo, para musculação)
  • Os transtornos de humor ou depressão
  • O uso de contraceptivos, período menstrual irregular, gravidez atual ou passado, aleitamento materno

Em alguns casos, a acne pode se assemelhar a outras desordens relacionadas com a pele, tais como rosácea. Esta informação irá ajudar o médico a estabelecer o diagnóstico adequado. (Bershad, 2008)

Consequências emocionais

Ter acne não significa apenas mudanças superficiais ou cosméticas na pele, há também o aspecto emocional. Uma vez que a face é uma das principais áreas afetadas pela acne, os sintomas da doença podem alterar a aparência das pessoas, e isto pode levar ao stress e ansiedade. Dependendo da gravidade da condição, a acne pode conduzir a uma auto-imagem negativa, incluindo: (Hamilton, 2009)

  • Baixa auto-estima
  • Perda de confiança
  • Depressão

Estas consequências emocionais afetam qualquer pessoa que está sofrendo de acne - homens e mulheres, jovens e velhos (Gollnick, 2003). Além de reduzir a qualidade de vida, aspectos emocionais da doença têm sido relacionados com redução na produtividade e empregabilidade. Este impacto na qualidade de vida é comparável ao que é visto em doenças como a epilepsia ou asma (Hamilton, 2009). Existem também vários mitos sobre a acne, e isso pode causar sentimentos de culpa que pioram os efeitos emocionais da doença. (Goodman, 2006)

Causas, fatores desencadeantes e de risco

A causa da acne é multifatorial e motivo de estudos diversos. Pesquisadores acreditam que fatores genéticos e ambientais estão relacionados. A história familiar de acne é um fator de risco que sugere um componente genético. Além disso, existem fatores ambientais ou desencadeadores, que também aumentam o risco de acne. Você pode notar que certos fatos em sua vida diária podem desencadear os sintomas de acne e provocar o surgimento de espinhas. Os fatores desencadeantes podem ser muito diferentes de uma pessoa para outra, e é importante que você possa manter o controle deles para ajudá-lo a evitar e minimizar as crises. 1, 2, 5 e 7

Os fatores que podem desencadear acne incluem:

Histórico familiar

Fatores hereditários parecem desempenhar um papel importante no desenvolvimento da acne. Isto significa que se a acne acontece em sua família, você terá mais chances de tê-la (Bershad, 2008)

Período menstrual

Muitas mulheres percebem que sua acne tende a ficar melhor ou pior em ciclos, e que isto está relacionado com o seu período menstrual. Cerca de 40% dos pacientes do sexo feminino, observam crises de acne nos dias que antecedem a sua menstruação (Bershad, 2008)

Gravidez

As alterações hormonais durante a gravidez também pode resultar em erupções temporárias de acne. Alguns tratamentos para acne estão associados com graves defeitos congênitos se for utilizado durante a gravidez, por isso é importante relatar a gravidez a seu dermatologista, e informá-lo sobre todos os medicamentos de acne que você está usando (Bershad, 2008)

Dieta

Dieta tem sido um assunto controverso na investigação da acne. Existe uma noção popular de que alimentos gordurosos de alguma forma contribuem para a pele oleosa ou com tendência acneica. No entanto, estudos científicos sobre as causas da acne não têm mostrado que isso é verdade. Os pesquisadores descobriram algumas ligações entre acne e determinados componentes de uma "dieta ocidentalizada" - especificamente alimentos ricos em açúcar e produtos lácteos. No entanto, não há evidência relevante para outros alimentos como chocolate ou gorduras saturadas (Goodman, 2006; Spencer, 2009).

MENSAGENS CHAVE:

Fatos importantes sobre Acne

  • A acne não é contagiosa e não é causada por falta de higiene
  • Embora a acne apareça geralmente primeiro na adolescência, pode persistir até a idade adulta
  • Acne requer terapia de curto e longo prazo
  • Acne tem um componente emocional, estresse ou ansiedade mudam a forma de como ela muda sua aparência
  • Não há provas conclusivas de que alimentos gordurosos ou chocolate sejam responsáveis pela acne

Referência 1 - Gollnick H, Cunliffe W, Berson D et al. Management of acne: a report from a Global Alliance to Improve Outcomes in Acne. J Am Acad Dermatol. 2003; 49(1 Suppl):S1-37. 2 - Thiboutot D, Gollnick H, Bettoli V, et al. New insights into the management of acne: an update from the Global Alliance to Improve Outcomes in Acne group. J Am Acad Dermatol. 2009; 60(5 Suppl):S1-50. 3 - Perkins AC, Maglione J, Hillebrand GG et al. Acne vulgaris in women: prevalence across the life span. J Womens Health (Larchmt). 2012; 21(2):223-30. (SIB). 4 - Bershad SV. In the clinic. Acne. Ann Intern Med. 2008 ;149(1):ITC1-1-ITC1-16. (SIB) 5 - Hamilton F, Car J, Layton A.Acne vulgaris. BMJ. 2009: 5 ;338:2738.(SIB) 6 - Goodman G. Acne--natural history, facts and myths. Aust Fam Physician. 2006; 35(8):613-6. 7 - Bataille V, Snieder H, MacGregor AJ et al. The influence of genetics and environmental factors in the pathogenesis of acne: a twin study of acne in women. J Invest Dermatol. 2002 ;119(6):1317-22. 8 - Spencer EH, Ferdowsian HR, Barnard ND. Diet and acne: a review of the evidence. Int J Dermatol. 2009; 48(4):339-47.

Este é um site focado em educar o público e pacientes sobre as condições da pele e os diferentes tipos de tratamentos que estão disponíveis para gerenciar essas doenças. As informações contidas neste site servem unicamente para ajudá-lo a entender melhor as doenças de pele, visando auxiliar a comunicação entre você e seu o seu médico.

x

A partir de agora você será direcionado para o site do nosso parceiro
Drogaria Nova Esperança para efetivar sua compra.

Em dia com a Pele - Operação, Venda e Tecnologia: Drogaria Nova Esperança